Grupos Geradores ajudam a evitar a perda de produtividade no campo.

Nos últimos anos, o agronegócio é o setor que mais cresce no Brasil. Segundo dados da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil, o setor representa 22% do PIB nacional, tornando-se uma área de grande relevância para a economia do país. Isso porque, além da produção de alimentos, o setor também contribui com a fabricação de vestuários e de produtos de higiene pessoal.

Aliado ao crescimento do agronegócio aumentou também o uso da tecnologia e a automação dos processos no campo, o que gerou uma maior demanda por energia e por investimentos. Ou seja, as operações energéticas tornaram-se essenciais para o perfeito andamento do processo produtivo no setor.

Dados da agricultura confirmam essa informação. Somente entre os meses de julho a outubro de 2018, a contratação do crédito rural pelo Plano Agrícola e Pecuário (PAP) por médios e grandes produtores rurais atingiu R$ 64 bilhões, 26% a mais do que na safra anterior em igual período.

Ainda de acordo com o Relatório de Financiamento Agropecuário, divulgado pelo Ministério da Agricultura, a atividade agrícola representou 74% do valor aplicado, ou seja, R$ 47,4 bilhões. Tudo isso, coloca o agronegócio do país em destaque, ocupando a posição de 3º maior exportador de produtos agrícolas do mundo.

Possíveis prejuízos da queda energética

São diversos os fatores que podem causar falhas de energia no campo, especialmente as causas naturais, como chuvas, ventos, raios e galhos de árvores que caem sobre as redes.

As concessionárias percorrem longas distâncias para restabelecer a energia em casos de queda no campo , os produtores rurais podem acabar ficando um bom tempo à espera de manutenção, com fortes chances de comprometer, e muito, toda a cadeia de produção.

Entre os segmentos do agronegócio mais prejudicados com a falta de energia estão a pecuária e avicultura. Por isso, a prevenção contra falhas no sistema de energia elétrica é de importância fundamental para o agronegócio.

Elas impactam diretamente na qualidade e na quantidade de produção. Isso porque as constantes interrupções no sistema de distribuição afetam a produção, a infraestrutura e a logística da indústria.

Para evitar somar prejuízos, pecuaristas produtores rurais e agricultores familiares passaram a investir em sistemas alternativos de energia como os grupos geradores. O objetivo é manter suas operações em pleno funcionamento no campo na ausência da concessionária .

O equilíbrio da temperatura dos aviários – local de criação de aves – por exemplo, depende completamente de uma fonte confiável de energia, pois ela é responsável especialmente pela estabilidade do clima dentro dos aviários. A queda de energia pode colocar em risco de morte toda a produção, o que certamente vai impactar diretamente a economia do negócio.

Outro exemplo é o do cultivo de grãos e cereais. A manutenção e qualidade do produto armazenado dependem, especificamente, do fornecimento de energia para alimentar toda a potência elétrica do sistema. Neste caso, as etapas de secagem, armazenamento, industrialização e comercialização da produção ficariam comprometidas em situações de falha energética.

Para não correr riscos de ter a produção interrompida ou parte da população aviária morta, empresários no campo têm investido em grupos geradores. É preciso mensurar os riscos, avaliar a frequência ou a probabilidade de falhas e o grau de impacto no negócio.

 

Benefícios dos Grupos Geradores no campo

Os grupos geradores garantem o fornecimento de energia no agronegócio e viabilizam o fornecimento em áreas não atendidas pela concessionária. É um equipamento necessário na produção rural, com automação suficiente para seu acionamento e gerenciamento de carga, independente de ação humana. Ou modelos não automáticos, acionados manualmente garantindo a continuidade da produção.

Ao investir em um sistema próprio e seguro de energia, estruturas como aviários, frigoríficos e silos continuam funcionando normalmente mesmo que ocorram incidentes na rede de distribuição. No momento da queda de energia, estes equipamentos são acionados, para que todas as operações continuem em andamento.

Além de impactar diretamente em toda a cadeia produtiva, o uso de grupos geradores como suprimento de energia elétrica pode também ser fonte de economia de energia. Com estudo adequado, o uso em horários de ponta pode representar uma economia de até 30% nos gastos com energia.

 

Vantagens dos Grupos Geradores

Os grupos geradores a diesel são os mais indicados para suprir as necessidades do agronegócio. No entanto, é importante ressaltar que é preciso realizar uma avaliação técnica, com profissionais qualificados para verificar as necessidades específicas do negócio. Além disso, deve-se realizar a manutenção do grupo gerador periodicamente para manter um bom desempenho, aumentar a vida útil e garantir o fornecimento de energia.

A instabilidade do abastecimento energético ou até mesmo a falta dele ainda é realidade para muitos produtores rurais. É aí que os geradores de energia exercem um papel fundamental, sendo um dos insumos essenciais em todas as etapas da produção rural.

Para chegar até mesmo às áreas mais remotas, é preciso o uso de grupos geradores compactos e leves, que proporcionem a melhor praticidade durante a locomoção. Além disso, os grupos geradores customizáveis também são uma ótima opção para atender desde o pequeno agricultor familiar aos grandes produtores, pois, eles podem ser montados de acordo com cada necessidade em campo.

Outras dicas importantes que devem ser levadas em conta na hora de contratar um grupo gerador são: avaliar os modelos abertos e cabinados, e as potências. Também é fundamental avaliar se o grupo gerador fornece energia com cargas variáveis, baixo custo e se há fácil acesso aos itens de manutenção.